Motoristas de ônibus terão prioridade na vacinação contra o Coronavírus

MOTORISTAS DE ÔNIBUS TERÃO PRIORIDADE NA VACINAÇÃO CONTRA O CORONAVÍRUS

Decisão atende solicitação da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado de São Paulo – FETPESP

O Ministério da Infraestrutura anunciou ontem (18) que os profissionais da área de transporte – considerados prestadores de serviços essenciais para o desenvolvimento do país – foram incluídos no grupo prioritário na campanha de vacinação do Ministério da Saúde contra a Covid-19.

Segundo o informe técnico da instituição também estão na lista de prioridade os caminhoneiros, portuários, incluindo trabalhadores da área administrativa; funcionários das companhias aéreas nacionais; profissionais de empresas metroferroviárias de passageiros e de cargas; funcionários de empresas brasileiras de navegação; e motoristas e cobradores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso.

Para se vacinar, os profissionais terão que comprovar, por meio de documentação, que possuem vínculo ou fazem parte desses grupos. A logística e data para início da vacinação serão definidas pelo Ministério da Saúde.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas destaca que essa é uma grande notícia para os trabalhadores que continuaram, mesmo durante toda a pandemia, prestando um grande serviço ao país. “Esses profissionais terão o suporte do Governo Federal para serem vacinados como grupo prioritário, de modo a garantir a segurança e as condições que eles precisam para continuar nas estradas, portos e ferrovias”.

Essa decisão atende o apelo de diversas entidades ligadas ao setor transportador e à Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado de São Paulo – FETPESP que enviou, em 04 de dezembro do ano passado, ofícios ao governador João Doria e ao secretário de Estado da Saúde, Jean Carlos Gorinchteyn solicitando a inclusão de motoristas de ônibus nos grupos prioritários, já que eles trabalham em prol da mobilidade e prestam um serviço essencial à população.

Fonte: Assessoria Especial de Comunicação
Ministério da Infraestrutura

Motoristas podem ser incluídos na 2ª fase da vacinação contra Covid-19

Motoristas podem ser incluídos na 2ª fase da vacinação contra Covid-19

A Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado de São Paulo – FETPESP enviou ofício, ao Governo do Estado de São Paulo e a Secretaria Estadual de Saúde, solicitando a inclusão dos motoristas profissionais como grupo prioritário na vacinação contra a Covid-19.

Em resposta, o Chefe do Gabinete da Secretaria de Saúde, Nilson Ferraz Paschoa, informou que o assunto foi submetido à apreciação da Coordenação de Controle de Doenças, que em despacho enviado ao presidente da FETPESP, Mauro Artur Herszkowicz, esclareceu que na segunda fase serão incluídos outros grupos prioritários, a partir de avaliações epidemiológicas.

Dessa forma, considerando a essencialidade e importância do transporte coletivo, não foi descartada a possibilidade da inclusão dos motoristas profissionais na segunda fase da vacinação.

Veja abaixo os ofícios recebidos pela FETPESP.

Ofício Vacina Motoristas 01

Ofício Vacina Motoristas 02

Ofício Vacina Motoristas 03

FETPESP NA MÍDIA

Fetpesp na mídia

Iniciativa da FETPESP solicitando prioridade na vacinação contra a Covid-19 é notícia

A Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado de São Paulo – FETPESP encaminhou ofício ao governador do estado de São Paulo, João Doria, e ao secretário estadual de Saúde, Dr. Jean Carlo Gorinchteyn, solicitando que os motoristas de transporte coletivo tenham prioridade na campanha de vacinação contra a Covid-19.

Em face da importância da iniciativa, alguns veículos de comunicação noticiaram o apelo.  Confira as matérias divulgadas no jornal Agora São Paulo, no blog Diário do Transporte e na rádio CBN.

Agora São Paulo

Diário do Transporte

Rádio CBN

FETPESP solicita prioridade para os motoristas de transporte coletivo na vacinação contra o Covid-19

FETPESP SOLICITA PRIORIDADE PARA OS MOTORISTAS DE TRANSPORTE COLETIVO NA VACINAÇÃO CONTRA A COVID-19

A Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado de São Paulo – FETPESP encaminhou ofício ao governador do estado de São Paulo, João Doria, e ao secretário estadual de Saúde, Dr. Jean Carlo Gorinchteyn, solicitando que os motoristas de transporte coletivo tenham prioridade na campanha de vacinação contra a Covid-19, tão logo ela se inicie.

A iniciativa, segundo o presidente da FETPESP, Mauro Artur Herszkowicz, “visa resguardar a saúde desses profissionais que estão na linha de frente, na manutenção do transporte coletivo, serviço essencial e indispensável à população, bem como de milhares de passageiros transportados diariamente”.

Veja aqui os ofícios enviados pelo presidente da FETPESP, Mauro Artur Herszkowicz, ao governador e ao secretário de Saúde.

Ofício vacinação covid-19 01 Ofício vacinação covid-19 02 Ofício vacinação covid-19 03Ofício 04

Campanha divulga ações de combate ao coronavírus nos ônibus

campanha divulga ações coronavírus

Iniciativa da Mercedes-Benz visa mostrar aos passageiros os cuidados adotados pelas operadoras e estimular a volta das viagens

A crise deflagrada pela pandemia do coronavírus atingiu intensamente o setor de transporte de passageiros por ônibus, que sofreu uma grande queda na demanda. Visando mitigar o risco de propagação e contaminação do novo coronavírus, bem como tornar os veículos um lugar seguro e confiável, as empresas operadoras vêm investindo fortemente em ações de higienização e sanitização.

No intuito de conscientizar a população sobre as medidas adotadas e com o objetivo de estimular a volta das viagens, a Mercedes-Benz criou a campanha “Vá de ônibus. Vá Seguro”. A iniciativa, apoiada pela Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado de São Paulo – FETPESP, está sendo divulgada em rede nacional com a veiculação de um filme que convida a população a acessar o hotsite  www.vadeonibusvaseguro.com.br ,   que reúne vídeos e mensagens das empresas de transporte coletivo.

Convite para as operadoras participarem da Campanha

Para isso, a Mercedes-Benz pede que as operadoras juntem-se a ela, divulgando na plataforma – o mais rápido possível – vídeos e informações relativas aos cuidados que estão sendo tomados em suas frotas.  Os vídeos também serão disponibilizados no YouTube – “Coletivo de Cuidados”, podendo ser vistos por qualquer pessoa.

Além disso, a encarroçadora disponibilizará artes abertas de outras peças da campanha onde é possível incluir o logo e fotos das empresas. São mídias como busdoor, cartazes de paradas de ônibus e anúncios de revista.

Sobre a Campanha

Todos os comerciais veiculados na TV serão amplamente divulgados na Internet nos canais da Mercedes-Benz Ônibus no Facebook, YouTube, Instagram e diversos sites do segmento. E todas as ações da campanha vão direcionar o usuário interessado para o hotsite: www.vadeonibusvaseguro.com.br, onde os clientes divulgarão as suas ações com a higienização dos ônibus.

“Com essa campanha, esperamos mostrar para os passageiros que eles podem utilizar os ônibus para ir ao trabalho, à escola, viagem e para outros compromissos com total segurança”, explica o diretor de Vendas e Marketing Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil, Walter Barbosa.

Como participar da Campanha?

  1. Prepare um vídeo mostrando as ações que a sua empresa vem adotado com relação aos cuidados da frota.

 

  1. Publique o vídeo no YouTube e com o link do vídeo em mãos, siga o passo a passo abaixo:

 

  1. Acesse: https://vadeonibusvaseguro.com.br/admin/ 

 

  1. Entre com o usuário e senha da FETPESP, que devem ser solicitados pelo e-mail secretaria@fetpesp.org.br

 

  1. No menu lateral, escolha a opção “cadastre seu vídeo”.

 

  1. Clique em “Novo”.

 

  1. Selecione sua empresa, escreva a descrição do seu vídeo, cole a URL da publicação do seu vídeo no YouTube e clique em salvar.

 

  1. Agora, é só aguardar pela aprovação do conteúdo.

Não perca essa oportunidade. Mostre aos seus passageiros que a sua frota é segura!

Transporte coletivo não pode ser relacionado ao aumento de casos de Covid-19

Casos de Covid-19

Análise da NTU em 15 sistemas de transportes públicos por ônibus aponta que não há relação entre o número de passageiros transportados e a variação do número de casos de Covid-19

A crise deflagrada pelos casos de Covid-19 atingiu fortemente o setor de transporte público, que viu a sua demanda cair de forma vertiginosa. De repente, os coletivos viraram vilões a serem a serem evitados por grande parte da população.

Entretanto, segundo o estudo técnico Análise da Evolução das Viagens de Passageiros por Ônibus e dos Casos Confirmados da Covid-19, elaborado pela Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), não há evidências de que o aumento do número de passageiros transportados levou a um aumento do número de coronavírus.

Em primeiro lugar, o estudo avaliou os dados coletados do número de passageiros transportados em 15 sistemas de transportes públicos urbanos por ônibus no Brasil, responsáveis por 171 municípios, e a incidência de casos confirmados de Covid-19 nas mesmas cidades.

Sobre o estudo

Segundo a NTU, o levantamento teve como base a variação da demanda por transporte, calculada pela entidade, e os dados do Sistema Único de Saúde (SUS) durante 17 semanas, entre as semanas epidemiológicas 14 e 30, de 29 de março a 25 de julho de 2020. No total, foram considerados 255 registros de informações dos sistemas de transporte público coletivo.

Foram analisados 15 sistemas de transportes: Belém-PA; Belo Horizonte-MG (municipal e intermunicipal metropolitano); Curitiba-PR; Curitiba (intermunicipal metropolitano); Fortaleza-CE; Goiânia-GO; Macapá-AP; Natal-RN; Porto Alegre-RS; Recife-PE; Rio de Janeiro-RJ (municipal e intermunicipal metropolitano); Vitória-ES e Teresina-PI. Juntos, esses sistemas respondem por 32,5% do total de viagens de passageiros realizadas em todos os 2.901 municípios brasileiros atendidos por sistemas organizados de transporte público por ônibus (IBGE, 2017).

O estudo foi feito comparando-se os casos confirmados de Covid-19 observados sete dias após a demanda transportada, considerando que, em caso de contaminação do passageiro durante a viagem, este seria o prazo médio entre a eventual infecção e a detecção da contaminação por testes. Não foi observada associação entre o número de passageiros transportados por ônibus e o aumento do número de casos.

O diagnóstico constatou que em algumas cidades, o aumento da demanda por transporte coincidiu com a redução do número de casos confirmados. Enquanto isso, em outras a redução do número de passageiros do transporte coletivo aconteceu simultaneamente com o aumento da incidência de casos.

Transporte coletivo é seguro

De acordo com o presidente-executivo da NTU, Otávio Cunha, os dados coletados revelam que o transporte público por ônibus urbano não pode ser apontado como responsável pelo aumento do número de casos, tendo em vista que não há uma relação entre uma coisa e outra. “Se motoristas, cobradores e passageiros tomarem as devidas precauções, o transporte coletivo será seguro e o risco baixo”, esclareceu o presidente.

Nesse sentido, Cunha afirma que a NTU vem orientando e acompanhando as ações de sanitização e higiene adotadas pelas empresas do setor desde o começo da pandemia. “As operadoras, em parceira com o poder público, estão realizando a limpeza dos ônibus seguindo os protocolos sanitários indicados pelo Ministério da Saúde”, completa.

Fonte: NTU

 

Pandemia impõe mudanças no transporte de passageiros

Pandemia impõe mudanças

Informe da CNT destaca que o setor foi fortemente abalado e teve que se adaptar

O segmento de transporte de passageiros foi duramente atingido com a pandemia do novo coronavírus. Com o fechamento de escolas e estabelecimentos comerciais não essenciais, o número de pessoas transportadas caiu drasticamente. Isso fez com que o setor tivesse que passar por inúmeras adaptações.

Entretanto, segundo o informe Transporte em Movimento, publicado no dia 31 de julho, pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), nem todas mudanças podem ser negativas. O que se observa é o surgimento ou a aceleração de novas tecnologias e tendências. Juntas conduzem ao desenvolvimento de um transporte mais resiliente e de um ambiente mais colaborativo entre transportadores e sociedade. Iniciativas que forem positivas devem ser mantidas após a crise, impulsionando a eficiência do setor e preparando-o para eventuais ocorrências futuras.

Parcerias com empresas de tecnologias e aplicativos

O documento destaca que, no longo prazo, o abandono do transporte público não é uma alternativa viável, seja sob o ponto de vista urbanístico, social ou ambiental. Assim, alguns órgãos reguladores e operadores já têm buscado formas de adaptar o transporte público à nova realidade imposta por esse vírus.

Segundo o levantamento, um dos movimentos verificados para a preparação do setor para o retorno à utilização do transporte coletivo com uma maior intensidade é a realização de parcerias com empresas de tecnologia e de aplicativos.

Medidas como o fornecimento de informações precisas do horário de chegada e partida dos ônibus evitando, assim, esperas e aglomerações desnecessárias nos terminais, bem como aplicativos que permitam a reserva de lugar no veículo, são alternativas simples para melhoria das condições do transporte público, aponta o informe.

A análise enfatiza que a disponibilização de informações em tempo real aos usuários é um dos principais legados que a pandemia pode deixar e que irá revolucionar a mobilidade urbana. E nesse novo cenário, a integração entre os sistemas e as diversas formas de se locomover é fundamental para a eficiência do setor.

Na avaliação do presidente da CNT, Vander Costa, “este é o momento para aproveitarmos aquilo que foi positivo e garantir que esse ‘novo normal’ seja marcado por um sistema de transporte de qualidade, eficiente e adequado às realidades locais e por uma logística ágil e confiável. Tudo isso se reflete em ganhos para a economia e, consequentemente, para a sociedade.”

 

Acesse o novo Transporte em Movimento em

https://cdn.cnt.org.br/diretorioVirtualPrd/eb016218-7d9d-44c9-9bfe-f0bb9c5270f5.pdf

Fonte: Agência CNT

SEST SENAT REALIZARÁ GRATUITAMENTE TESTES DE COVID-19

SEST SENAT VAI REALIZAR GRATUITAMENTE TESTES DE COVID-19 PARA PROFISSIONAIS DO TRANSPORTE

Ação nacional será realizada de 8 a 12 de junho.

Motoristas do transporte coletivo rodoviário de passageiros, caminhoneiros autônomos e condutores profissionais do transporte rodoviário de cargas poderão fazer – de forma rápida e gratuita- testes de Covid-19.

A ação, de abrangência nacional, promovida pelo SEST SENAT (Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte), será realizada de 8 a 12 de junho em postos de combustíveis, terminais de cargas e de passageiros e pontos de parada nas rodovias.

Durante as abordagens, os profissionais também receberão orientações de prevenção da doença e de higienização das mãos e dos veículos, além de máscaras de tecido reutilizáveis. Serão disponibilizados 30 mil testes.

O resultado sai em aproximadamente 10 minutos após a coleta do teste. Em caso positivo os trabalhadores serão orientados a buscar atendimento em centros de saúde e sobre o correto isolamento social durante o período de recuperação.

A iniciativa visa  contribuir com dados importantes e estratégicos para empresas, transportadores autônomos, trabalhadores do setor, governo e sociedade sobre a disseminação do vírus no setor de transporte. Além disso, também é uma forma de colaborar  com as políticas públicas que estão sendo adotadas pelo governo federal e governos estaduais no controle da pandemia no país.

LOCAIS DA AÇÃO EM SÃO PAULO:

– Terminal Pirituba- Avenida Doutor Felipe Pinel, 60 – Pirituba

– Terminal Santo Amaro Avenida Padre José Maria, 430 – Santo Amaro

– Terminal de Cargas Fernão Dias – Rua Abílio Pedro Ramos, 748 – Vila Nilo

– Fernão Dias/SP SPMar- SAU3 no km 102 Suzano (SP)

– Terminal Rodoviário de Mauá- Rua Pref. Américo Perrela, 11 Vila Bocaina –  Mauá

– Terminal Metropolitano Prefeito Magalhães Teixeira – Avenida Lix da Cunha, s/n, Campinas

– TICLog – Terminal Intermodal de Cargas de Campinas – Avenida João Galvão Anderson, nº 977, Bairro Nova Aparecida – Campinas

– Raízen Combustíveis S/A – Avenida Sidnei Cardon de Oliveira, nº 2365, Bairro Cascata – Paulínia

– Terminal Rodoviário de Campinas – Rua Dr. Pereira Lima, nº 85, Bairro Vila Industrial, Campinas

– Posto Graal Trevo – Marginal Rodovia Anhanguera, 320 – Chácaras Rio Pardo, Ribeirão Preto – Base da Policia Rodoviária

– Rodovia Raposo Tavares, s/n Km 561 – Presidente Prudente

– Auto Posto Cosenso e Cia – Rodovia Washington Luiz, 446 Zona Rural – Cedral

– Garagem Olho Vivo/Circular Santa Luzia – Rua Pedro Amaral S/N Vila Ercilia – São José do Rio Preto

– Estacionamento do Ecopático, SP-055, s/n – km 263 – Parque Industrial – Cubatão

– Terminal Rodoviário Tático – Avenida Moises Cardoso d’Oliveira – Nova Mirim – Praia Grande

– Posto Arco Íris – Via Dutra, Km 82 – Cidade de Roseira – Bandeira Petrobras (pista sentido Rio de Janeiro) – Jacareí

– Posto Graal 3 Garças – Via Dutra, km 59 – sentido São Paulo – Guaratinguetá

– Posto de Pesagem – Balança – Rodovia Presidente Dutra km 178,6 – sentido São Paulo  – Guararema

– Rodoviária de Jacareí – Avenida Engenheiro Davi Monteiro Lino, 585 – Jacareí

– Posto Sem Limites – Rodovia Marechal Rondon, SN, Km 342 Vila Cardia – Bauru

 Locais da ação em outros estados:

https://publicador.sestsenat.org.br/arquivos/aede46c1-ff74-4a66-917f-252fb640862e.pdf

 

MEDIDAS EMERGENCIAIS NO TRANSPORTE PÚBLICO

MEDIDAS EMERGENCIAIS NO TRANSPORTE PÚBLICO - ESTADO DE CALAMIDADE PÚBLICA (COVID-19) -

MEDIDAS EMERGENCIAIS NO TRANSPORTE PÚBLICO – ESTADO DE CALAMIDADE PÚBLICA (COVID-19)

A FETPESP atuante em seus propósitos vem trabalhando fortemente no combate à crise econômica instalada no país, causada pela pandemia do novo coronavirus (Covid-19) especialmente no setor de transporte de passageiros.

Diante disso, a Federação propôs junto ao Governo Federal, Governo Estadual e Órgãos Gestores inúmeras medidas emergenciais para mitigar as perdas da baixa demanda de passageiros. Estas propostas partiram do entendimento e alinhamento entre as principais instituições que atuam no transporte coletivo urbano (CNT, NTU, ANTP e fóruns de mobilidade urbana). Ambas acreditam que é preciso atuar de forma bastante desburocratizada e em caráter emergencial, diante do estado de calamidade pública.

Na data de hoje, representantes da FETPESP apresentaram medidas de urgência ao Governo Estadual, para a manutenção das operações em função da falta de receita para pagamento dos insumos e, principalmente dos salários das equipes que integram as empresas de transporte público, além da redução de encargos e impostos sobre a prestação de serviço de transporte de passageiros por ônibus.

Estamos trabalhando fortemente para minimizar a crise em nosso setor!

São Paulo, 30 de março de 2020.

Mauro Artur Herszkowicz

Presidente do Conselho de Administração

MEDIDAS EMERGENCIAIS NO TRANSPORTE PÚBLICO.